Azeite de Oliva no Brasil

Conhecido empresário paulista, inicia industrialização de azeite de oliva com o objetivo de mobilizar os produtores do sul do Brasil.

Os primeiros litros de azeite, produzidos a partir de uma variedade grega, colhida em Santana do Livramento, simbolizam o desafio do conhecido empresário “Luiz Eduardo Batalha”.

"Fiz questão de adquirir a planta de extração de azeite da “Pieralisi” e iniciar a produção. É a melhor forma de mostrar aos produtores locais que eles podem plantar oliveiras, porque a indústria esta aqui, e funcionando", confidencia.

Com a autoridade de quem iniciou "a guerra do hambúrguer no Brasil", introduzindo a rede Burger King no pais, o empresário paulista radicado na região há 10 anos, não esconde a satisfação de desencadear uma nova revolução.

"Produzir azeite em Pinheiro Machado é um sonho.Quem poderia imaginar que isso aconteceria tão rápido? Viajei o mundo inteiro para sentir este sabor característico,e consegui produzi-lo aqui, na Campanha Gaucha.

E uma realização muito grande",sentencia, apos provar o produto final de sua epopéia, servido a um numero restrito de convidados. A demonstração, alias,comprovou a potencialidade da regiãoe apresentou o segundo passo que é o desafio da industrialização.

"Ainda estamos avaliando como podemos explorar cada uma das variedades disponíveis na região", revela Batalha, ao destacar que já estão agendados os testes com azeitonas de origem espanhola e francesa para os próximos dias.

 

Projeção Ousada

A produção comercial dessa nova unidade terá início na safra de 2014. "A colheita de 2013 já foi realizadae agora precisamos ajustar os detalhes da indústria e concluir algumas obras. A principio dispomos de 20 mil pés de azeitonas", enfatiza. E a produtividade dobra a cada ano, de acordo com o empresário. "Na segunda safra nossa própria produção terá 40 mil pés", sentencia.

O empresário investiu aproximadamente R$ 3 milhões na unidade instalada em Pinheiro Machado município do estado do rio grande do sul no Brasil e o destaque fica por conta da unidade desenvolvida pela Pieralisi , uma das mais importantes no mercado de centrifugação no mundo, que pode produzir ate 500 mil litros de azeite durante a safra. Volume que deve ser garantido através de uma parceria com a Prefeitura de Pinheiro Machado, que prevê a centralização de toda a produção local nessa indústria.